férias frustradas de verão [dir.: greg mottola, 2009]

Pensamentos imediatos me ocorreram ao fim de Adventureland. O primeiro – e nem precisa assistir ao filme para chegar a tal conclusão – é o quanto as distribuidoras brasileiras são capazes de acabar [leia-se foder] com a imagem de um filme ao adaptar seu título para Férias Frustradas de Verão. Eu pensei muitas vezes se estaria fazendo a coisa certa ao assistir Férias Frustradas de Verão, e não é questão de julgar o filme pelo título, mas não dá para esperar algo interessante de uma história com esse nome. [Sem contar que o título original é muito legal e poderia ser mantido, da mesma forma que a produção merecia entrar no circuito nacional e não foi.] O que me encorajou – e assim chego à segunda observação – foi Greg Mottola, um diretor que, como mostrou no engraçado Superbad, sabe fazer filmes sobre adolescentes, sem descer o nível ou apelar para pornografia para fazer rir. Desta vez, Mottola, além de divertir [destaco a cena da piscina que me causou gargalhadas], é eficaz no andamento da narrativa, que segue em ritmo constante mesmo com  as esperadas reviravoltas. Muito por conta da excelente – e nostálgica [a história se passa no final dos anos 80] – trilha sonora e personagens que vão além dos arquétipos típicos de longas do gênero, e ainda que lide com o virgem, o nerd ou a gostosa, Mottola consegue facilmente romper a superficialidade dessas figuras. Mérito também do elenco – acho que Jesse Eisenberg ainda pode render bons trabalhos e Bill Hader tem o papel mais engraçado do filme -, que entre muitos nomes, preciso reservar uma atenção especial à Kristen Stewart, a qual faz parte da minha terceira conclusão. Eu me surpreendo como Kristen consegue ser extremamente bonitinha e atraente em filmes que não sejam da Saga Crepúsculo, me fazendo suspeitar de um suposto mal aproveitamento da atriz. Foi assim em Na Natureza Selvagem e é também em Adventureland, em que toda a atração sentida pelo protagonista por sua personagem parece justificável. E mais, somos capazes de torcer para que tudo termine bem entre eles. Algo que, aliás, foi minha quarta e última observação: a potencialidade de uma história nos fazer torcer por um final feliz que nunca, nunca aconteceria na vida real. Às vezes essa fantasia do cinema me deprime…

nota | 7,5

Anúncios

  1. Boas observações! hehehe

    A pessoa tem que ser muito demente para colocar um título desses. Deixasse como Adventureland mesmo, muito melhor.

    Me diverti demais com esse filme. Gosto muito daquela cena da larica do personagem do Jesse Eisenberg.

    E a Kristen Stewart é de fato atraente aqui e em Na Natureza Selvagem.

  2. Sou muito curioso pra assistí-lo,primeiro por muitos acharem que Kristen Stewart tem uma atuação simpática como em Na Natureza Selvagem.
    Depois que tem no elenco os HILÁRIOS Bill Hader e Kristen Wiig e pra mim só esses dois já vale a conferida.
    Abraços

  3. Adoro esse filme, em especial o clima nostálgico dele. Essa viagem do diretor em seus tempos de adolescência me fez lembrar de muita coisa, o que é bom nesse caso (mesmo que na vida real nem tudo termine bem, como você disse). E o título nacional é horrível mesmo.

  4. Assisti esse filme por acaso há um tempo e lembro que gostei. Eu gosto quando histórias que não são nada demais são bem contadas, porque na realidade é com elas que a gente geralmente se identifica.
    O que me deprime é a falta de fantasia fora do cinema, isso sim.

  5. Acho esse filme uma pequena pérola, rs, muito bom, bem feito, ótimas atuações e uma direção competente. Uma pena que não teve o resultado que merecia (me refiro a sair direto em DVD..)

    • Bruno, hahaha! Fica parecendo filme idiota de Sessão da Tarde, o que tá bem longe da realidade do filme. Também me diverti bastante, e engraçado que o filme meio que “ficou”, sabe? E isso é muito bom. []s!

      Leandro, como disse, ela tá bem mesmo, quase me apaixonei. E como disse no texto, o personagem do Bill Hader é MUITO engraçado. Morria de rir com ele. []s!

      Vinni, esse não tem aquele humor de Superbad, mas é mais agradável. E talvez seja esse clima que o diretor conseguiu imprimir mesmo no filme. A experiência é boa. []s!

      Helena, exatamente, tão simples e tão eficiente. Dá vontade de fazer parte daquilo. E hahahaha, concordo, mas é tudo culpa do cinema, que nos faz achar que alguém pode mudar de cidade pra te encontrar. []s!

      Wally, legal! O filme foi bem aceito né? É justo. []s!

      Alan, concordo com tudo. hehe Obrigado pela visita. []s!

  6. É um filme bonitinho, diverte enquanto você assiste, mas não foi tão marcante para mim, exemplo: não lembro da cena da piscina que você comenta no texto :p E tenho a mesma impressão sobre Kristen Stewart, gosto dela em Na Natureza Selvagem e está bem em Adventureland, mas chega na tal Saga…

  7. Assim, o título é idiota mesmo, mas ao mesmo tempo da curiosidade de ver o filme, parece título que davam pros filmes do John Hughes, isso é uma boa relação. É lógico que eu iria vê-lo com isso em mente, mas esperando que não fosse bom como os filmes do Hughes, mas teria esperança! hehe Não vi Superbad, mas esse diretor pelo jeito é meio um novo Hughes, né? Fiquei curioso a respeito desse pela Kristen, acho ela extremamente antipática, mas perderia essa impressão dela, se ela realmente for interessante como atriz. Os comentários no post me deixaram bastante animado, acho que vai ser o próximo filme que vou baixar, outro dia mesmo tava precisando de um filme assim, bobo-legal.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s