quincas berro d’água [dir.: sérgio machado, 2010]

Para um diretor, baiano, que registra sempre em seu cinema o estado onde nasceu, a literatura do também baiano Jorge Amado é uma farta fonte de adaptação. Cinco anos depois do excelente Cidade Baixa, Sérgio Machado retorna à direção e roteiro com Quinca Berro d’Água e acrescenta mais um bom filme, ainda que problemático, em sua carreira. A Bahia não é um mero cenário para a história contada; antes, a religiosidade e cultura baiana são integrantes ativos da narrativa, impressos em cada cena e responsáveis muitas vezes pelos acontecimentos sucedidos. Ou seja, em qualquer outro cenário brasileiro, o beberrão Quincas, enquanto morto, passaria por peripécias completamente diferentes, e Sérgio tira bom proveito dessa qualidade da obra de Jorge Amado, sobretudo como diretor. Pois o roteiro se mostra um tanto falho em alguns aspectos, criando situações, cômicas ou não, que não se justificam com clareza. A vertigem sentida pela personagem de Mariana Ximenes na sequência do terreiro, por exemplo, aponta para outra cena que nos informa um detalhe aparentemente importante, mas que, ao final da narrativa, o público continua sem ser informado do que se trata. O texto ainda oculta o desenvolvimento de algumas situações, as quais já aparecem na tela solucionadas. E resta ao público, mais uma vez, se perguntar como as coisas aconteceram – ou ainda, por que estão acontecendo. Mas a produção é caprichada, a Bahia dos anos 60 é evidenciada pelo ótimo trabalho de figurino e direção de arte e Sérgio não evita em compor com beleza seus quadros. O elenco é harmônico e talvez seja o maior atrativo do filme. Paulo José, mesmo morto, é genial.

nota | 7

Anúncios

  1. Pingback: Tweets that mention quincas berro d’água [dir.: sérgio machado, 2010] « receio de remorso -- Topsy.com

  2. Não gosto de Cidade Baixa e, para mim, Quincas Berro d’Água foi o primeiro acerto de Sérgio Machado. Uns exageros aqui, outro ali, além de umas falhas no roteiro que podem passar despercebidas, mas nada que condene muito o longa.

    Queria fazer textos pequenos assim, mas, infelizmente, não consigo. haha!

    Abração!

  3. Comédia é um gênero que brasileiro tem dificuldade pra fazer, em especial quando é baseado em algum material previamente publicado. Gosto de “Cidade Baixa”, mas minhas expectativas para esse aí são mínimas.

  4. Ah, que legal! Fiquei com vontade de ver, mesmo com suas ressalvas. Não vi Cidade Baixa [preciso conferir], mas gosto muito do Paulo José, deve ser ótimo morto mesmo, hehe.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s