cinema 2009 | 10 melhores filmes

RUMBA, de Dominique Abel, Fiona Gordon e Bruno Romy

Quase sem diálogos e com as expressões mais caricatas de seus atores, Rumba narra uma excêntrica história de amor num amontoado de anedotas que me fizeram rir como poucos filmes conseguem. Tudo através de uma linguagem singular, dominada pela pantomima e cores vivas presentes em cada cena do filme. A melhor comédia do ano. + resenha completa

|

GRAN TORINO, de Clint Eastwood

No início eu nem acreditei que Clint, em sua última atuação, estava fazendo seu personagem rosnar. Mas se de imediato o suposto exagero incomoda, a medida que o filme avança – e o próprio personagem se modifica -, Gran Torino se revela um longa que faz jus ao nome por trás dele. Uma narração segura e envolvente de um diretor que não podia deixar se ser ator.

|

FOI APENAS UM SONHO, de Sam Mendes

Detestado por muitos, adorado por mim. Não é um filme perfeito – o personagem do Michael Shannon é quase inaceitável, por exemplo -, mas foi desconcertante acompanhar o casal de Foi Apenas um Sonho, culpa sobretudo do excelente trabalho da dupla protagonista e da trilha de Thomas Newman. Um dos melhores finais do ano. + resenha completa

|

O LUTADOR, de Darren Aronofsky

Apesar de Aronofsky merecer elogios pelo extremo realismo que emprega em O Lutador, Mickey Rourke tem a melhor atuação de sua carreira e a melhor masculina do ano. Um filme cruel, forte e violento, como ser mais um no ringue. + resenha completa

|

FROST/NIXON, de Ron Howard

Um filme de Ron Howard em sexto lugar no top 10 do ano. Ok, difícil de acreditar que era mesmo aquele diretor por trás de um longa tão bem conduzido como Frost/Nixon – nem resquícios teatrais, uma vez que é adaptado de uma peça, o longa herdou. É puro cinema, com atuações soberbas de Langella e Sheen e uma montagem que não pode ser subestimada. + resenha completa

|

DÚVIDA, de John Patrick Shanley

Discordei até cansar da última frase do filme, mas não posso anular todas as outras por conta de um mero [não, nem tão mero assim] detalhe de um texto das qualidades como o de Dúvida. A principal é fazer do espectador seu co-autor, já que vem, somente dele, a conclusão do tenso embate presente em todo o filme. E como um bom texto sem bons atores não adianta de muita coisa, Dúvida tem também o melhor elenco de 2009. + resenha completa

|

AVATAR, de James Cameron

James Cameron não fez apenas um filme. Cameron realizou um espetáculo, criou um universo completo e proporcionou a experiência mais realista dentro de uma sala de cinema. Ao longo da sessão, esqueci dos óculos 3D que dão dor de cabeça, das quatro paredes ao meu redor, que as imagens eram frutos de uma projeção e olhei para minha mão para confirmar se ainda estava em sua cor natural ou virou azul. Porém, mais vale pela experiência que pelo próprio filme, dono de um roteiro que não permite que Avatar esteja no topo da lista.

|

O VISITANTE, de Thomas McCarthy

O Visitante foi a maior surpresa de 2009. Como um filme tão minimalista poderia ter a eficácia de causar sentimentos tão profundos em que o assiste? Na verdade, creio que poucos gostaram do filme como eu. Mas a sutileza com a qual é composto, a maneira com que McCarthy conduz a trama, num ritmo que acompanha a transformação gradativa do personagem de Jenkins [assustadoramente discreto], preenchida pela bela trilha de Kaczmarek, me alcançou como poucos filmes ano passado. E se levarmos em conta os diversos temas que O Visitante desenvolve, talvez mereça até uma posição melhor na lista.

|

BASTARDOS INGLÓRIOS, de Quentin Tarantino

Houve um empate técnico com o primeiro colocado e minha decisão em pô-lo teoricamente em segundo vem de uma leve decepção com o novo filme do meu diretor vivo favorito. Bastardos Inglórios é divido em capítulos, e só o dois primeiros são melhores que qualquer filme dessa lista. Mas em seguida, pequenos detalhes me fizeram questionar algumas escolhas da direção – uma atitude rara quando estou diante de um trabalho dele – e uma cena na taberna parecia interminável! Era inacreditável, mas estava cansado. Perto do fim, fica quase tão perfeito como no início e aos créditos finais, a constatação que só Tarantino poderia realizar um filme que desconstrói a Segunda Guerra como Bastardos Inglórios. É um gênio sim, mas dessa vez com ressalvas.

|

DEIXA ELA ENTRAR, de Tomas Alfredson

Primeira reação ao sair cinema foi xingar Crepúsculo, Edward, Bella, Stephenie Meyer e toda a raça de fãs que essa aberração conseguiu gerar, a ponto de eu dizer que assisti um filme fantástico com vampiros e as pessoas rirem da minha cara. A segunda reação, que era a mesma durante a projeção, foi me maravilhar com a beleza de Deixa Ela Entrar. Beleza em todos os sentidos. Esteticamente é irrepreensível, a melhor fotografia do ano, tomadas de causar delírio, trilha que emociona e aterroriza ao mesmo tempo, câmera lenta usada com precisão e cautela, etc etc. A poesia alcançada pelas imagens é o reflexo de um roteiro que, no fim, utiliza a temática vampiresca – de forma singular, vale dizer – para falar de solidão e amor, em amplos sentidos. Deixa Ela Entrar é o drama que se pode extrair de um terror. Lindo.

__________________________

MENÇÕES HONROSAS

THIS IS IT, de Kenny Ortega

Foi com uma mistura de satisfação e tristeza que saí do cinema. This is it seria uma turnê espetacular – no sentido vasto da palavra -, o que facilmente se percebe neste documentário que faz jus ao mito que era Michael Jackson.  E é apenas o Michael Jackson astro, cantor, dançarino, artista, criador que brilha na tela. A tristeza porque, bem, você sabe, nada daquilo aconteceu.

|

A PARTIDA, de Yojiro Takita

Se há beleza na morte, A Partida o revelou de modo tocante. E a maneira como o roteiro relaciona todos os acontecimentos do personagem principal a ela é surpreendente. É um filme até bem contido em termos de direção, mas tem seu bom resultado justamente ao tratamento dado à história. Se você não chorou em nenhum momento, parabéns, você tem um coração de pedra.

Anúncios

  1. não vi todos, mas me pareceu uma boa lista.
    Óbvio que prefiro Dúvida a Avatar e Bastardos a esse tal filme de vampiro que nem vi… os motivos você já sabe… mas me pareceu uma ótima lista… fez direitinho o dever de casa. ;)
    ah e quero muito ver A partida!

  2. Mesmo que eu discorde de algumas de suas escolhas (tenho “Gran Torino” e “Foi Apenas Um Sonho” como uma das grandes decepções de 2009), gostei muito da sua seleção. Foi ótimo ver “Dúvida”, “O Visitante” e “Frost/Nixon” no top 10.

  3. Meu filme favorito da lista é “Bastardos Inglórios” e por isso adorei vê-lo na segunda posição. As menções foram ótimas!

  4. “Bastardos Inglórios” foi o melhor do ano para mim. E Tarantino também é meu diretor vivo favorito. Adorei sua lista. Gostei da presença de “Gran Torino”. Eu ainda não vi “Deixa ela entra”, mas estou louco para ver. Abraço e obrigado pela visita lá no blog!

  5. Noooooooossssssssaaaa, sério, Deixa Ela Entrar é tão bom assim?!?! Por que você não me disse antes, cretino? xD Gente, posso dizer que fiquei surpreso pela sua lista, principalmente pela primeira posição, falou de mim mas também não colocou Bastardos no top, né? humpf. Não sei se O Visitante é melhor que Deixa Ela Entrar [e isso eu vou descobrir logo, depois dessa], mas é melhor que Bastardos hehe. Vi dois filmes da sua lista com você, que feliz! =) Não tinha certeza se Gran Torino ia entrar na sua, mas gostei de vê-lo aí, se eu tivesse gostado um pouco mais, teria entrado na minha, mas foi um filme importante, ok? xD Preciso ver Foi Apenas Um Sonho! Ainda mais agora que o Sam Mendes tá cotado pra dirigir o próximo 007, hehe. Uma coisa interessante, os filmes da sua lista que constam na minha, estão dispostos juntos, do sétimo ao segundo colocado.

  6. Tá, ainda não assistir ‘Deixe Ela entrar’, mas ela está na lista de 9 entre 10 blogueiros. – rsr. Meu preferido é Bastardos, mas adorei vê Frost/Nixon sendo lembrado também. Fiquei muito curioso por ‘Rumba’

  7. gostei bastante da lista – tenho um caso de amor por esses vampiros, inclusive. só não vi O VISITANTE e RUMBA.

    sobre o top brazuca: vc viu um chamado SE NADA MAIS DER CERTO? acho esse uma maravilha, o primeiro que me fez dizer Wow(!) desde O CÉU DE SUELY.

  8. Pra mim, “Deixe ela entrar” também é o melhor filme do ano e facilmente entre os destaques da década. Gostei do TOP, mesmo que colocaria fizesse algumas mudanças, mas ainda assim bem interessantes. Abraços|

  9. Ótima lista. Devem se repetir no meu top: “Deixa Ela Entrar”, “Avatar”, “Bastardos Inglórios” e “O Lutador”. Mas eu também acho excepcionais todos os outros. A exceção talvez sendo “Rumba”, que gosto muito mas não acho que seja pra tanto.

  10. Hmm. Adorei sua lista. O asiático “A Partida” é mesmo um filme lindo, eu até me arriscaria a coloca-lo na primeira lista, talvez no lugar de “Foi Apenas um Sonho”.

  11. Ótima lista e concordo com o que voce disse sbre “Avatar”. Bela experiência, mas o roteiro deveria ter acompanhado a excelencia dos efeitos. Se os dois estivessem no mesmo nivel, talvez seria sim “o melhor filme de todos os tempos”, como tanta gente anda dizendo exageradamente por aí.

  12. Ah Jeff, ótima lista. Preciso ver Deixa Ela Entrar antes do blog de ouro, mas já percebo que esse não é só mais um filme de vampiros. Fico feliz em saber que não sou o único a gostar bastante de Foi Apenas Um Sonho. Apesar dos pesares foi um bom filme e, como você disse, possui um dos melhores finais do ano. Bastardos é o meu favorito e discordo de você em relação aos dois capítulos serem melhor que qualquer filme da lista. Bastava o primeiro para vencer qualquer um aí.

    Abração!

  13. Você não faz uma premiação à la Oscar não, Jeff? Como bom fanático por listas, gosto de saber das vontades dos blogueiros nas demais categorias; assim como realizar uma, ainda que bem modestamente.

    De todo modo, vi pouquíssimos da sua lista – aliás, foram apenas 33 filmes lançados comercialmente em 2009 que vi até hoje -, e gostei da sua menção a “Dúvida”, que acabou subestimado por muita gente (inclusive, é um dos meus indicados a melhor filme). Só acho que faltaram “Up” e “Amantes” e achei “This Is It” um porre, não é nem show nem documentário – e olha que eu gosto do MJ e fui de boa vontade -, além de “Foi Apenas Um Sonho”, apesar do casal espetacular, ter sido um belo dum engano.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s