o contador de histórias [2009]

ocontador

Em O Contador de Histórias, o espectador ganha a óptica de uma criança acerca do mundo. O que a criança avista, por sua vez, é o universo que somente uma mente prematura e ingênua, imaginativa e sonhadora, é capaz de sintetizar. Em uma determinada cena do longa, a inocência do pensamento do pequeno Roberto Carlos Ramos idealiza uma FEBEM onde palhaços, cores e festa constituem a fundação. Roberto apenas interpretou, sustentado pelos seus desejos infantis, as palavras dos adultos – o discurso do governo, neste caso. Faz-se, entretanto, desnecessário descrever a realidade a qual é desabada sobre seus olhos.

Neste contraponto entre a inocência e a hostilidade de uma Belo Horizonte pretérita (porém revelada como atual e brasileira num sentido amplo), o diretor Luiz Villaça (Cristina Quer Casar) conta a história real de Roberto Carlos Ramos, hoje considerado um dos maiores contadores de história do mundo. Hoje, também possui graduação em pedagogia e dois livros lançados – “A arte de construir um cidadão: 15 lições da pedagogia do amor” e “O contador de histórias”. Ontem, ou mais precisamente na década de 70, porém, era tido como “irrecuperável” pela psicóloga da FEBEM, onde foi deixado por sua mãe enquanto criança.

Levantar culpados para o estado em que se situara Roberto gera inevitáveis discussões – e imprecisões. O desejo materno era oferecer um futuro promissor a seu filho ao instalá-lo na Fundação Estadual, a qual era promovida de forma risível e sensacionalista pelo governo através da tevê; o filho, com isso, perde os cuidados maternos e ganha a “atenção” governamental. Entregue unicamente aos serviços do governo, o leitor já conclui ser irrealizável o sonho, alimentado por sua mãe, de Roberto tornar-se doutor. Por sua vez, o próprio protagonista, oscilando entre a falta de melhores soluções e a vontade de permanecer “irrecuperável”, adentra no violento espaço urbano e em tudo que este poderia lhe oferecer.

Porém, a intenção de Luiz Villaça não é encontrar culpados ou denunciar, mas narrar os acontecimentos de quando existe alguém disposto para mudá-los. Maria de Medeiros (Pulp Fiction – Tempo de Violência) vive Margherit, uma pedagoga que em uma de suas visitas à FEBEM conhece Roberto e insiste em sua recuperação. À medida que o menino conta sua trajetória para a pedagoga, Margherit – e o espectador – se envolvem em histórias trágicas que, com as observações de Roberto, ganham um aspecto ainda mais pessoal e fantasioso. O diretor valoriza esses momentos ao empregar uma trilha sonora e compor planos-sequências que alimentam o caráter imaginativo das cenas.

O Contador de Histórias, com estreia para o dia 7 de agosto, surge como um alívio. A visão pessimista da psicóloga sobre Roberto soa como um reflexo da nossa própria observação acerca do quadro social atual, em que muitos parecem “irrecuperáveis”. Para isso, a história de Roberto Carlos Ramos precisava ser contada. Enquanto isso, ele permanece contando outras.

trailer | clique aqui
mais informações | site oficial, imdb
Anúncios

  1. A temática é muito interessante e pelo trailer parece ser realmente muito bom… Ficarei aguardando o lançamento !!

  2. O início do seu texto me trouxe à mente imediatamente O Ano Em Que Meus Pais Saíram de Férias, pela abordagem de algo a partir de o ponto de vista de uma criança, coisa que por sinal funciona maravilhosamente bem no filme do Cao Hamburger. Já fiquei interessado por isso. A relação é pertinente, inclusive em qualidade? Agora, que história sensacional a desse cara, hein? E é daqui de Belo Horizonte! Sua cidade costuma aparecer muito em filmes, a minha não.. viu que ótemo é aqui? hehe Mas, então, nunca ouvi falar do cara, mas fiquei muito interessado na história e no filme, o fato de ser de época me preocupa um pouco, eles conseguiram reconstituir tudo bem? Parece verossímel? Enfim, BH não é muito generosa com filmes que não sejam blockbusters absolutos, mas assim que estrear eu vou procurar informações, fiquei mesmo querendo ver.
    E nota, não tem? xD

  3. Também lembrei muito de ‘o ano em que meus pais saíram de férias’ e ‘a culpa é do Fidel’, adoro filmes assim… brazuca então… muito bom! verei com certeza.

    Ah, e parabéns pelo texto chuchu, impecável como sempre!

    =*

  4. O cinema brasileiro este ano está um puco fraco, mas parece que esse filme vem para desfazer minha lógica.
    Gostei da história, ainda mais por ser passada através de uma criança.
    O trailer me deu muita vontade de assisntir. Espero que os cinemas deem uma chance para o filme.

  5. Ae, finalmente está de volta, hehehehe :-) Confesso que ainda não tinha ouvido falar desse filme, mas seu texto o apresentou de uma ótima forma!

  6. Jeff, antes de tudo, que bom que voltou a atualizar o Receio de Remorso. Espero que não dê outras pausas tão longas. Também gostei do novo layout, assim como o maravilhoso cabeçalho.

    Já este “O Contador de Histórias” eu tinha lido a respeito enquanto estava sendo filmado, mas admito que não conheço nada em relação da figura retratada no longa. Odeio o filme anterior do Luiz Villaça, mas aqui talvez ele apresente alguma grande evolução. E eu estou louco para ver a Maria de Medeiros em cena!!!

    Abraços!

  7. Ficou legal o novo banner, mas não gostei do novo layout, tudo ficou muito grande, pra mim era mais agradável do outro jeito. #sincero :p

  8. tive a oportunidade de conhecer esse livro em sala de aula, quando a professora levou para fazermos um trabalho em grupo ou melhor uma apresentação sobre cada estrofe, e ao ler minha parte e ao se juntar com a da turma fiquei encantada e tratei logo de ir em busca desse livro, foi muito complicado achar, pois a maioria das livrarias nao tinha, e quando conseguir vi que ali tinha uma historia nao so maravilhosa de vida, mais um material pra levar para sala de aula e mostrar as nossas criança a realidade do nosso pais, e sobre as escolhas que cada um tem sobre a sua vida. e gostaria nao so de ver o filma mais tambem de obter, pois e com ele que vou trabalhar em sala de aula, e acredito poder mudar a vida demuitos que nao tem uma visão tão profunda dessa realidade que vivemos. Roberto Carlos que Deus continue te abençoando e te fortalecendo em sua caminhada brilhante de vida….Sou sua fã

  9. amo de paixao a historia de Roberto Carlos Ramos deste que eu me intendo de jente eu sempre pensava que ele poderia fazer um filme, pulei de alegria quando eu fiquei sabendo que a historia dele iria ser finalmente divugada, eu sei as historias dele todas as infantis fiz curso de contadora de historia 2 vezes por paixao a historia desse homens sempre quiz conhece-lo com serteza dia 7 de agosto estarei vendo o filme em minha regiao e ira ser inesquecivel pois essa historia e fantastica! parabens para o realizador dessa grande obra de arte pois isso e unico para todos que observa o trabalho de Roberto de longe !!!!!!!!!

    ESTAREI DIA 7 DE AGOSTO SEM FALTA !!!!!!!!!!!!

  10. Bom,eu assisti o filme dia 20 de julho,foi a pré estreia,que aconteceu em BH no cinema do Patio Savassi…O filme e simplesmente um sucessooooooo!!!

    A hitória de Roberto Carlos e fantastica!!!

    Equipe:
    Direção: Luiz Villaça
    Produção,Roteiro,Direção de fotografia,Montagem e elenco estão todos de parabénssssssssssss!!!

    Bom não posso deixar de dar os parabéns a Denise Fraga que esteve presente no dia da pré estreia..Ela e um amor de pessoa…
    Beijinhos e muito mais sucessoooooo!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s