correntes | os injustiçados do oscar / olha que blog maneiro!

Correntes de e-mails são chatas, ao contrário das de blog que sempre são divertidas e legal de dar continuidade. O grande Alex, do grande Cine Resenhas, me propôs duas de uma vez. Sem mais delongas, vamos a elas.

____________________________

| Os injustiçados no Oscar

A cerimônia da Academic Awards de 2009 ainda nem ocorreu, mas a insatisfação por conta da audiência [ao menos dos blogueiros] está sendo propagada há tempos. Sou um dos que acham que o Oscar deste ano está uma grande piada, com muitos injustiçados e outros desmerecidamente valorizados. Porém, isso é uma constante se tratando de Oscar. O desafio é por mais lenha da fogueira, cutucando o passado negro da Academia e trazendo à tona grandes injustiças cometidas durante esses anos. Não sou uma enciclopédia de cinema e preferi me atentar às premiações mais recentes – só não pude deixar de fora o maior injustiçado de todos os tempos, o que me fez concluir que, definitivamente, a Academia curte um ópio.

|

kubrick11 | Oscar 1965, 1969, 1972, 1976, 1988

Injustiçado: Stanley Kubrick

E não é que o melhor cineasta que já esteve na Terra não levou para o céu nenhuma estatueta como diretor, roteirista ou produtor? O único careca  dourada que Kubrick conseguiu foi o de Melhores Efeitos Visuais por 2001: Uma Odisséia no Espaço. Justo, mas só isso? A única herança que deixou para o cinema foi revolucionar os efeitos especiais? Humf! Suas maiores obra-primas, Laranja Mecânica e 2001, e os não muito inferiores Dr. Fantástico, Barry Lyndon, Nascido Para Matar não foram o suficiente para premiar o grande mestre como ele merecia. Nada explica.

|

pulp_fiction_012 | Oscar 1995

Injustiçado: Quentin Tarantino e Pulp Fiction

A testosterona de Pulp Fiction perdeu para o açúcar de Forrest Gump. O inovador Tarantino foi derrotado pelo convencional Robert Zemicks. Só pra deixar claro, gosto muito do Zemeckis [e seu melhor filme pra mim é Contato] e não morro de amores por Forrest Gump – é só um filme acima da média. Mas peraê?! Tarantino criou sua obra-prima – até então – e só pôde se contentar com o prêmio para Roteiro Original. Nem a incrível montagem foi premiada. Vega e Winnfield, matem a Academia.

|

shakespeare3 | Oscar 1999

Injustiça: as premiações de Shakespeare Apaixonado

Shakespeare Apaixonado, esse filminho meia-boca, insosso, sem nenhuma grande atuação, sem roteiro e direção que não vão além do aceitável, e que positivamente só conta com uma boa reprodução de época e belos figurinos, conquistou os equivocados prêmios de Melhor Filme [!!!], Melhor Roteiro Original [desbancando os inspirados trabalhos de A vida é bela e O Show de Truman] e Melhor Atriz [não é porque é nossa, mas, se houvesse justiça no mundo, Gwyneth Paltrow nunca tiraria um prêmio de Fernanda Montenegro]. De premiação inexplicável para filme, acho que essa é a mais notável ao meu ver.


pt-anderson24 | Oscar 2000

Injustiçado: Paul Thomas Anderson e Magnólia

Para mim, a grande obra-prima de Anderson – e da década, do século e da eternidade – é Magnólia Sangue Negro é fichinha se comparado a esse. Ironicamente, o diretor e seu longa foi ainda mais esquecido na cerimônia de 2000 que na do ano passado. Vamos por parte: o filme nem se quer foi indicado na categoria principal, seguindo PTA pelo mesmo caminho do desprezo na categoria de diretor; seu roteiro inteligente, complexo e composto de sentimentos que contava com um painel de personagens riquíssimos perdeu para o texto de Beleza America [que assisti há muito tempo e não gostei na época… anyway!]; uma das melhores – se não a melhor – interpretação de Tom Cruise não foi o suficiente para derrotar Michael Caine em Regras da Vida [ok, Caine é o bicho]; a linda canção Save Me [e ainda escolheram “errado”, já que Wise Up que deveria estar concorrendo] perdeu para a apenas bonitinha You’ll be in my heart, de Tarzan, revelando que, além de não entender de cinema, a Academia não entende de música.

|

cold-mountain045 | Oscar 2004

Injustiça: a premiação de Renée Zellweger por Cold Mountain.

Meu desgosto pela Renée Zellweger é fruto, principalmente, de sua interpretação em Cold Moutain. Seu trabalho no filme de Minghella situa-se entre as piores atuações vistas pelos meus olhos num curta/média/longa-metragem; sua voz irritante, sua cara de macho e seus trejeitos de homem do cangaço lhe renderam uma das premiações mais lamentáveis da Academia em seus 81 anos de existência. De quebra, ainda desbancou as ótimas Patricia Clarkson e Marcia Gay Harden.|

|

E a última injustiça foi para… [uma espécie de menção honrosa]

dreamgirls_533Oscar 2007

Injustiça: a humilhação sofrida pelas músicas de Dreamgirls

Eu não queria a vitória de Eddie Murphy [era o pior dos 5 indicados], nem fazia questão dos prêmios de Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino, até porque tenho muitas ressalvas com Dreamgirls, cheios de problemas em seu roteiro e direção. Entretanto, nada justifica sua perde na categoria de Melhor Canção para um documentário; nunca vi coisa tão irônica numa premiação. Patience corre por fora, mas Listen e Love You I Do são músicas maravilhosas interpretadas por vozes com potência e com muita sinceridade no filme, bem superior da comum I Need to Wake Up.

|

Passo o desafio para:

– Lucas B., Listen to the…
– Lucas, Leio Ouço Vejo

– Miojo e/ou Nespoli, O Cara da Locadora
– Vulgo Dudu, Cinéfilo, eu?
– Weiner, A Grande Arte

____________________________

| Olha que blog maneiro!

selo_olha_que_blog_maneiro1

Passos:

1. Exiba a imagem do selo “Olha que blog maneiro!” que você acabou de ganhar.
2. Poste o link do blog que te indicou [muito importante].
3. Indique 10 blogs de sua preferência.
4. Avise seus indicados [não esquecer].
5. Publique as regras.
6. Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
7. Envie a sua foto ou de um[a] amigo[a] para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com o link dos 10 blogs indicados para verificação. Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá uma caricatura em P&B.

Enviado por:

Alex, Cine Resenhas

Repasso para os blogs:

– Camila, No meio de tudo…
– Dari, Cá com meus botões
– Kau, Bit Of Everything
– Lucas B., Listen to the…
– Lucas, Leio Ouço Vejo
– Miojo e/ou Nespoli, O Cara da Locadora
– O Lerdo, Conspirando
– Vinícius, Blog do Vinícius
– Vulgo Dudu, Cinéfilo, eu?
– Weiner, A Grande Arte

Anúncios

  1. Primeiro, obrigado por me passar o selo! ;) Segundo, acho que Stanley Kubrick nunca ter vencido um Oscar foi o maior esquecimento da Academia mesmo. Só não concordo com a Zellweger (até esse filme eu ainda gostava dela, hehehe) e “Dreamgirls” (não gosto de nenhuma das canções), mas concordo com o resto – especialmente com o PTA, que sempre foi injustiçado.

    Abraço!

    • Vini, de nada. hahahahaha, Abriu os olhos quanto a Renée né? Que bom! Poxa, as melhores coisas de Dreamgilrs são as músicas e a Jennifer Hudson… E um dia a Academia se dará conta do que é PTA. []s!

      Matheus, muito boa sua colocação! Irei me apropriar dela de agora em diante, ok? hehe []s!

      Lucas B., de nada. =) Ao menos concorda com a maioria. hehe []s!

      Alex, você não concordar comigo é algo normal, e eu também não concordo com nenhuma discordância sua – a segunda parte do seu comentário, por exemplo. hehehe Ao menos concordou quanto ao Kubrick. Já é alguma coisa. []s! E que nada, fiquei feliz com a lembrança.

  2. Shakespeare Apaixonado, foi pra mim a maior piada que a Academia já contou até hoje, uma piada de muito mal gosto por sinal. Sobre o Kubrick não tem nem o que falar, ele foi tão grande em sua pequena cinematogafia que considero que não foi ele morreu sem ter a honra de ser premiado como melhor diretor pela Academia, e sim a Academia, na sua estupidez recorrente, que perdeu a chance de ter a grande honra de reconhecer a genialidade de um dos maiores diretores que já existiu, assim como aconteceu com Orson Welles.

  3. Obrigado pela corrente, logo logo vou respondê-la.

    Concordo sobre Kubrick, Pulp Fiction e Shakespeare Apaixonado.
    Renee Zellweger deveria dar seu Oscar para Holly Hunter.
    Odeio todas as músicas de Dreamgirls, então achei merecido a vitória da música do documentário.
    E PTA para mim tanto faz.

  4. Estranho, como já havia antecipado nas nossas conversas pelo Messenger eu não concordo muito com os seus destaques. Stanley Kubrick é mesmo um ser injustiçado e vai saber o porquê de “Dreamgirls” não ter levado nenhum prêmio das três indicações que recebeu na categoria de melhor canção. Mas eu gosto demais do desempenho de Renée Zellweger em “Cold Mountain”, ao mesmo tempo que considero “Shakespeare Apaixonado” um romance bem original, descontraído e cheio de emoção, que celebra todo o universo fascinante de Shakespeare.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s