cinema 2008 | 10 melhores filmes

Cinematograficamente falando, não tenho o que reclamar do quase finado 2008. Se no ano passado o cinema não entregou nenhuma obra-prima, fomos compensados este ano com dois grandes longas dignos de receber tal mérito. Aproveito e adianto que não falo de Sangue Negro nem muito menos WALL-E. Exato, eles não entraram no top final.

Apesar de Sangue Negro possuir a melhor trilha sonora de 2008 e ser tecnicamente irretocável, como qualquer filme do gênio Paul Thomas Anderson [para os que não sabem, Magnólia é meu top 1 absoluto], além das interpretações soberbas de Daniel Day-Lewis e Paul Dano, por algum motivo, o filme não me atinge tanto como os 10 listados abaixo. Quanto a WALL-E, bem, é um bom filme – e só.

Caso não tenha fechado o browser mesmo depois de ter lido o parágrafo anterior – obrigado! -, não vou perder mais tempo e deixarei o top dizer o resto. Mas não sem antes desejar a todos que visitam este pequeno blog, um 2009 excelente, de muitas realizações e filmes ainda melhores.

Até o ano que vem e feliz ano novo! =)

|

010#10 | ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA | de Fernando Meirelles
Queime Depois de Ler ou Ensaio sobre a Cegueira? Foi um grande dilema, mas optei pela obra de Fernando Meirelles por, baseado no livro de José Saramago, pintar um retrato cruel e primitivo do ser humano em seu estado mais desesperador. É um filme inquietante, de infinitas questão a cerca da natureza do homem, religião e ética, permeadas numa fotografia granulosa em que prevalece os tons claros – e escuros nos momentos necessários -, resultando num dos melhores trabalhos técnicos do ano. Julianne Moore [melhor atriz de 2008?] encabeça um elenco perfeito que torna palpável o estado apocalíptico que Meirelles e Saramago conceberam.
|

07#9 | VICKY CRISTINA BARCELONA | de Woody Allen
Minhas ressalvas com o velho Allen correspondem ao seu trabalho na frente da câmera, pois é inegável que com papel e caneta na mão compõe histórias [quase sempre] de premissa simples, mas envolventes por conta dos diálogos próprios do autor e personagens irresistíveis. E é justamente isso que faz de Vicky Cristina Barcelona um filme apaixonante. Um elenco em sintonia vivendo e falando sobre relacionamentos numa paisagem encantadora, capturada pela câmera sutil de Woody Allen.
|

091#8 | APENAS UMA VEZ | de John Carney
Once é a prova de que, para um filme funcionar, o principal ingrediente é sentimento. Com uma câmera simples, músicas inesquecíveis – que estarão em seu MP3 após o término do filme – e atuações sinceras fazem deste o filme mais sensível do ano. Basta abrir o coração e sentir.
|

08#7 | O NEVOEIRO | de Frank Darabont
“Assustador” define O Nevoeiro e o retrato realista que Stephen King e Darabont criaram do ser humano em seu estado de sobrevivência. Depois de alguns minutos, percebe-se que a maior ameaça do filme é o  homem e seu egoísmo, seu poder de manipulação, sua loucura, seu desespero. E aí se nota que o nevoeiro e suas criaturas são apenas um pano de fundo para questões filosóficas e um estudo sobre a natureza humana. Mas não dá para negar que aquelas criaturas são aterrorizantes e me fizeram soltar uns gritos de vez em quando.
|

05#6 | DESEJO E REPARAÇÃO | de Joe Wright
Também acho o segundo ato do filme um pouco arrastado, mas a primeira e terceira parte, câmeras subjetivas, plano-seqüência de quase cinco minutos, fotografia e direção de arte perfeitos e o melhor final do ano compensam qualquer defeito e fazem de Desejo e Reparação um filme memorável.
|

06#5 | NA NATUREZA SELVAGEM | de Sean Penn
Não é o melhor filme da lista, mas foi por Na Natureza Selvagem que cultivei maior carinho, o qual só vem crescendo com o passar do tempo. Através deste lindo filme, se descobriu um talento de verdade na direção, um ator muito melhor do que se imaginava e ainda apresenta as melhores canções do ano. Um filme que me fez chorar, deixando-me com paralisia temporária quando os créditos finais apareceram. E eu adoro quando isso acontece.
|

03#4 | JUÍZO | de Maria Augusta Ramos
Por este filme você não esperava, certo? Ao assisti-lo por um simples acaso [com a falta de um professor na faculdade, nada melhor do que passar a hora no cinema], também não imaginava que Juízo seria um documentário digno de entrar num top de melhores do ano. A questão é que o filme é alarmante e faz qualquer um pensar por horas sobre a situação de cada jovem apresentado e o sistema de recuperação oferecido para os mesmos. Não sei de mais ninguém que tenha visto Juízo. Se você faz valer minha afirmação, não perca a oportunidade de conferir a melhor surpresa do ano.
|

04#3 | BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS | de Christopher Nolan
Nunca imaginei também que um filme de super-herói entraria no meu top. Mas O Cavaleiro das Trevas não é apenas mais um blockbuster com um homem fantasiado pronto para salvar vidas. Não irei rasgar elogios à direção de Nolan ou ao roteiro pela densidade dada a cada personagem ou aos efeitos visuais e sonoros apesar de todos serem dignos de qualquer encômio. Mas, definitivamente, a maior qualidade de Batman é Heath Ledger com seu assustador Coringa por criar uma atmosfera de medo em Gotham, capaz de ser percebida em cada cena que o desajustado sorriso vermelho aparece. E como Ledger faz falta…
|

02#2 | LINHA DE PASSE | de Walter Salles e Daniela Thomas
A beleza estética de Linha de Passe, dada pela bela fotografia e a câmera de Walter Salles, contrapõe-se com a paisagem cinza e monótona de São Paulo. Talvez pela sua verdade, Linha de Passe foi o filme que mais me levou para o outro lado da tela. Como havia dito num antigo post, ao sair do cinema, a vida de cada personagem do filme ainda se misturava à minha. E isso é cinema de verdade.
|

01#1 | ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ | de Joel e Ethan Coen
2008 foi o ano dos Irmãos Coen. Ano em que mostraram que são capazes de realizar obras extremamentes diferentes entre si e serem felizes nas duas. Mas foi com este western moderno que eles entregaram não só o melhor filme do ano, mas a obra-prima de suas carreiras. Onde os fracos não têm vez é uma aula de cinema em que o silêncio é rompido pela violência personificado pelo personagem de Javier Bardem, numa atuação a qual nenhum adjetivo é capaz de qualificar. Uma obra-de-arte perfeita do início ao fim.

Anúncios

  1. Aê, enfim o tão esperado post!
    Conforme já conversamos, só vi um filme nessa lista e… odiei. Não, jamais cansarei de dizer isso huahuahuahuahuahuauhahu.

    Mas tem uma pá de filmes aqui que eu tô com muita vontade de assistir e acredito que seu Top tem bastante credibilidade, incluindo os que ficaram de fora. Não posso me guiar somente por um pênalti mal cobrado (ou bem cobrado?!).

  2. Puxa, gostei muito do seu top 10, inclusive três dos filmes também estavam na minha seleção (e mais três entre os vinte primeiros). Não sou um dos maiores fãs de “Onde os Fracos Não Têm Vez”. Já vi o filme três vezes, mas até agora não vi nada de muito genial ali – apesar de ser ótimo, claro. Também não vi os dois nacionais, mas estou extremamente ansioso por ambos, em especial “Linha de Passe”. E “The Dark Knight” é uma maravilha mesmo, que bom que aprovou o filme!

    Abraço e um excelente 2009!

  3. EXCELENTE lista de melhores, Jeff! Dos 10 filmes listados, ainda não assisti “Juízo”, mas li coisas muito boas sobre a obra!

    Feliz 2009! Que o novo ano seja repleto de bênçãos, realizações e, principalmente, muita saúde!!!

  4. Ui, que vergonha –”
    Não vi nenhum, só li os livros dos # 5 e # 1.
    E adorei =D

    Um dia eu reparo esse meu relapso com a Sétima Arte hehehe

  5. Cecilia, que bom que gostou do top! Igualmente para você. =) []s!

    Leonardo, você sabe que essa foi a maior decepção que me causou né? Também acho que tenha, Léo, ao menos para mim. hehehe []s!

    Vinícius, então veja pela quarta vez. hehe Eu assisti Sangue Negro 2 vezes – uma no cinema, inclusive – mas ainda não consegui morrer de amores. Devo permanecer assim. E não morra sem antes ver Juízo e Linha de Passe. xD []s! Feliz 2009!

    Kamila, valeu por gostar. Tente ver Juízo assim que puder. E desejo o mesmo para você. =) []s!

    Suzi, não quero que seja outra decepção na minha vida. Apesar dos livros serem ótimos, os filmes não ficam atrás, muito pelo contrário. Beijos!

    Murilo, hahahahahaha! Eu não esperava outra reação de você. xD

    Dari, pois é, tava meio doido. xD Acho que o filme digno da sua posição. Beijos!

  6. Jeff, daí existem três longas que encabeçam o meu top 10 de 2008 que ainda está sujeito a alterações: “Apenas Uma Vez” (do qual você deixou uma justificativa perfeita – tenho toda a trilha no meu aparelho sonoro e a virtude em sua simplicidade se dá aos sentimentos de seus personagens) , “O Nevoeiro” e “Desejo e Reparação”. Eu não gosto completamente de alguns filmes daí relacionados, mas é um grande top! Só lamento não ter tido oportunidade alguma para ver “Vicky Cristina Barcelona” :(

    Tenha um excelente início de ano. Tudo de bom, abraços!

  7. Alex, bom saber, cara! Tive a oportunidade de ver Once no cinema! Foi uma experiência incrível. E O Nevoeiro é um filme que eu preciso ter na minha coleção, foi sem dúvida o melhor suspense do ano, apesar de REC ter sido excelente também. Putz, que cinema ruim hein! Aqui no Rio VCB ainda está em cartaz… Uma pena. Mas assim que chegar em DVD não perca tempo.

    []s! E igualmente, Alex.

  8. Jeff, é bem ruim mesmo! Acho que dos filmes do Woody Allen dessa década o único exibido nos cinemas daqui foi “Scoop – O Grande Furo”. Daí uma vez ou outra eu compro pirata. O problema é que nem pirata tem “Vicky Cristina Barcelona”, rs.

  9. Pingback: melhores de 2009 «


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s